Arquivo da tag: Mac

TROCANDO A VERSÃO DO JAVA PELO TERMINAL no MAC OSX

Execute:

/usr/libexec/java_home -V

Resposta será algo do tipo:

Matching Java Virtual Machines (3):
1.8.0_05, x86_64:   "Java SE 8" /Library/Java/JavaVirtualMachines/jdk1.8.0_05.jdk/Contents/Home
1.6.0_65-b14-462, x86_64:   "Java SE 6" /System/Library/Java/JavaVirtualMachines/1.6.0.jdk/Contents/Home
1.6.0_65-b14-462, i386: "Java SE 6" /System/Library/Java/JavaVirtualMachines/1.6.0.jdk/Contents/Home
 
/Library/Java/JavaVirtualMachines/jdk1.8.0_05.jdk/Contents/Home

Ai para trocar coloque:

export JAVA_HOME='/System/Library/Java/JavaVirtualMachines/1.6.0.jdk/Contents/Home'

Quando executar java -version:

java version "1.6.0_65"
Java(TM) SE Runtime Environment (build 1.6.0_65-b14-462-11M4609)
Java HotSpot(TM) 64-Bit Server VM (build 20.65-b04-462, mixed mode)

Diretório dos projetos PHP

Você pode localizar o diretório nesse caminho:

/Library/WebServer/Documents

Ou então nesse caminho:

/Users/yourusername/Sites

Caso não ache essa pasta “Sites”, basta criar ela com o “S” maiúsculo.

Basicamente a diferença entre esses dois é que o primeiro modo é global e o segundo é por usuário do sistema.

Como rodar PHP no MAC

Abra o seu terminal e digite:

sudo nano /etc/apache2/httpd.conf

Quando o arquivo abrir procure essa linha:

#LoadModule php5_module libexec/apache2/libphp5.so

Agora basta remover o “#” que está na frente da linha e então salve.
Pronto basta entrar com o seu usuário root com esse comando:

sudo su

Então agora você terá essas opções de comandos:

apachectl start
apachectl stop
apachectl restart
apachectl graceful

Agora acesse o seu browser com essa url:

http://localhost

Vim editor com potencial do UNIX

Vim é um bom editor de texto com potência no mundo UNIX, no Mac OS X e no Linux vem nativo. Comandos:

i – alterar o modo de inserção (antes do cursor).
a – a mudança para o modo de inserção (após cursor).
A – alteração do modo de inserir (no fim da linha).
r – substituir um caractere.
R – substituir texto.
x – excluir um caractere.
dd – apaga uma linha.
yy – line puxão (cópia).
p – pasta excluído ou arrancou texto depois do cursor.
P – pasta excluído ou arrancou texto antes do cursor.
G – ir para a final do arquivo.
1G – ir para o topo do arquivo.
J – merge próxima linha com um presente.
/ – Pesquisa, siga / com texto para encontrar.
:wq – arquivo de gravação e sair.
:q! – Sair sem salvar.
% s / velho / novo / g – substituto; substituir “velho” com o “novo” em todas as linhas.
:g / padrão / d – apagar todas as linhas que correspondem ao padrão.

Configurar o Sublime Text 2 para abrir pelo terminal

Bem quem nunca ficou com raiva em ter que abrir um arquivo qualquer com os editores de arquivos do Linux ou Mac como “nano” ou “vim”?

Bem a solução dos problemas está em um programa chamado Sublime Text 2, para configura-lo basta seguir o passo a passo.

Passo 1

ln -s /Applications/Sublime\ Text\ 2.app/Contents/SharedSupport/bin/subl /usr/local/bin/sublime

Passo 2 – Edite o .bash_profile

vim ~/.bash_profile

Passo 3 – Acrescente ao final do arquivo a linha

export PATH=/usr/local/bin

Passo 4 – Reinicie o .bash_profile

source ~/.bash_profile

No terminal utilize: sublime diretório

Direitos Autorais: Daniel Antoniete