Integração contínua com Jenkins – Automatize o ciclo de desenvolvimento, testes e implantação de aplicações

Nota do livro: 10.

Neste livro, você entenderá os conceitos e as diferenças entre Continuous Integration, Continuous Delivery e Continuous Deploy. Conhecerá um caso de uso do Jenkins ao ser integrado com as ferramentas: Gogs, Maven, Nexus, SonarQube, Docker, Terraform e Shell Script. Esse conjunto de ferramentas permite automatizar um ciclo de desenvolvimento, testes e implantação de uma aplicação web.

Você também conhecerá alguns conceitos próprios do Jenkins, aprenderá a configurá-lo como código, alterar o tema, instalar plugins, gerenciar usuários, credenciais e escrever pipelines.

Para ler e praticar os conhecimentos compartilhados neste livro não é necessário nenhum conhecimento prévio sobre Jenkins; o público-alvo são estudantes da área de Tecnologia da Informação, administradores de sistemas, administradores de rede, desenvolvedores e gerentes.

Gestão Visual de Projetos: utilizando a informação para inovar

Nota do livro: 10.

Com dezenas de exemplos de empresas, incluindo UPS, GE, United Healthcare, Citigroup e muitas outras, este livro vai ajudar você a explorar todas as oportunidades – desde melhorar as decisões, os produtos e os serviços até fortalecer o relacionamento com os clientes. Aqui você aprenderá a 

Gestão Visual de Projetos é uma proposta que busca evitar desperdício de dinheiro, tempo e energia em reuniões improdutivas, relatórios intermináveis, burocracia desnecessária, processos e projetos confusos…

Se você e sua equipe precisam evitar tudo isso e ao mesmo tempo almejam desenvolver soluções inovadoras, vocês precisam conhecer Lemming!

Podemos antecipar que Lemming é uma proposta que visa disseminar princípios, processos e ferramentas que preconizem a visualização de informações e o pensamento visual para promover a inovação no Processo de Desenvolvimento de Projetos (PDP).

A proposta sugere que protótipos e testes sejam realizados o quanto antes para que se descubra os erros também o quanto antes. Neste sentido, criar relatos visuais desde a fase informacional do projeto ajuda a prototipar a informação, ou seja, ajuda a testar se as informações de projeto possuem nexo visualmente, pois ao agruparmos informações, nosso cérebro tende a procurar sentido. Funciona como uma espécie de experimentação conceitual das informações. Além disso, nossa tendência é responder visualmente quando somos estimulados de forma visual.

Portanto, criar práticas e ferramentas visuais estimula a equipe a responder visualmente. Dessa forma, tende a se estabelecer um ambiente mais favorável ao engajamento, à participação e à inovação.